Arquitetura e engenharia civil: uma união que dá certo


Para os profissionais Deivis Ortiz e Ronaldo Waschburger, uma profissão complementa a outra quando o assunto é construção civil

Importantes igualmente em uma obra, arquitetos e engenheiros civis alimentam, há muitos anos, uma rixa. As diferenças e semelhanças entre as duas profissões fazem com que as duas áreas, geralmente, atuem de forma separada.

Contudo, não é o que acontece em Horizontina com o arquiteto e urbanista Deivis Ortiz e engenheiro civil Ronaldo Waschburger. Os dois, que integram a Inova Arquitetura, uniram esforços e experiência para atura de forma conjunta na área da construção civil.

Eles explicam que pelo fato destes dois ramos de profissionais desenvolverem atividades com funções semelhantes, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o trabalho específico de cada um.

Mas, então, quem faz o que? Ortiz explica que enquanto a arquitetura tem um estudo mais voltado para paisagismo, urbanismo, parte criativa e estética da obra, o engenheiro, segundo Ronaldo, atenta à estruturação e execução da obra. “O arquiteto faz o planejamento da utilização dos espaços de forma racional e estética, e o engenheiro civil busca soluções técnicas para implantar o projeto do arquiteto, além de tratar da execução do projeto e partes complementares, como a parte estrutural. De forma mais simples, seria afirmar que o arquiteto monta e o engenheiro acomoda.”

Vistos atuando juntos em obras, os dois profissionais afirmam que conseguem acompanhá-las e agregar mais ao trabalho. “O trabalho de um complementa o do outro. Cada um voltado ao seu foco de trabalho, conseguem visualizar soluções que são boas para todos. E neste processo quem ganha é o cliente, pela agilidade e praticidade. Os clientes de Horizontina e região estão recebendo de forma positiva esta nova forma de atuação, com a nossa visita nas obras. É o resultado da união e do trabalho em equipe, que encontra soluções viáveis nestas duas áreas que englobam uma obra”, dizem.

Apesar das duas áreas se completarem, há situações específicas de cada profissão. “Quando se trata de obras em patrimônio histórico, somente o arquiteto pode atuar. Já uma obra em um pavilhão, por exemplo, só o engenheiro civil pode assinar. Essas seriam duas das poucas diferenças que existem entre as duas profissões”, esclarecem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *