A birra!

Por Jéssica T. Rolim de Moura – Coluna Conversa de Mãe

Olá, leitores! Na coluna deste mês trago um tema que deixa muitos pais de cabelo em pé: a birra! A birra é o reflexo da confusão mental na criança por não saber lidar com o que está sentindo. Quando crianças ainda não conhecem todos os sentimentos e sensações, e não sabem identificar e lidar com eles, acabam ficando confusas, estressadas e agressivas.

É muito difícil para a criança reagir a um sentimento desconhecido. Daí vem a importância de ensinar aos pequenos a identificar o que estão sentindo, conhecer o que aquele sentimento causa e como reagir quando ele surgir. O autocontrole deve ser ensinado e reforçado desde a infância.

É importante não ignorar a birra, pois esse é o momento de fazer a criança compreender seus sentimentos, caso contrário se sentirá insegura e abandonada, piorando ainda mais a situação.

Nesses momentos a conversa é o melhor caminho. Abaixar-se para conversar com a criança mostra consideração a ela e a deixará mais receptiva ao que o adulto está dizendo. Ouvir a criança também é fundamental para saber o que ela está sentindo, assim ensinará a ela a agir com empatia.

Mostre à criança que toda ação tem uma consequência. Ao invés de castigar, mostre a ela a consequência do que ela fez. Por exemplo: se ela rabiscou a parede, faça-a limpar, isso a ensinará a identificar o certo e o errado. É muito importante deixar claro que grosserias não são aceitas. Fale para a criança que enquanto estiver sendo agressivo não terá conversa.

Quando a birra acontecer, seja firme. Mas lembre-se ser firme não significa ser agressivo! É possível, sim, impor limites sem ser autoritário e grosseiro. Ensinar com amor é muito mais válido do que com agressividade. Assim como você não será grosseiro com a criança, não aceite grosserias da parte dela, deixe isso claro e ensine através do exemplo.

Existem fatores que influenciam a birra indiretamente, como o sono, a rotina, o tempo com os pais, etc. Manter uma rotina deixa a criança preparada para o que vai acontecer e consequentemente mais tranquila. Dormir bem faz toda diferença no dia a dia dos pequenos, por isso certifique-se de que a criança está dormindo o suficiente. Limite o acesso a eletrônicos, a exposição excessiva às telas deixa a criança agitada.

A qualidade do tempo dedicado à criança também interfere nas ações dela. Separe um tempo diariamente e dê verdadeira atenção ao seu filho, brinque, converse sobre como foi o dia e aproveite para saber como ele está se sentindo, isso estimulará a relação de confiança entre pais e filhos, deixando-o mais seguro.

A educação é o maior presente que podemos dar aos nossos filhos. A tarefa de educar exige paciência e compreensão. É desafiador, mas vale todo esforço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *